De onde vem a grave escassez de pessoal no Canadá?

De onde vem a grave escassez de pessoal no Canadá?

Os especialistas explicam que o bloqueio não é o único problema e sugerem uma saída.

Statistics Canada is lifting the veil on a question that has plagued thousands of would-be immigrants: Where did Canada's labour market crisis came from?

O estudo mostrou um nível sem precedentes de migração de trabalhadores entre setores. Esta tendência afeta não apenas — tradicionalmente — os setores de serviços e de catering, mas também os campos das finanças, tecnologia e imobiliário.

Os canadenses decidiram fazer uma mudança de carreira em uma época em que ninguém mais estava disponível para aceitar seus antigos empregos. A taxa de desemprego está agora em torno de 4,9%, o nível mais baixo desde 1970. Há apenas cerca de 1 milhão de pessoas consideradas desempregadas, um mínimo histórico desde 1981, enquanto a força de trabalho cresceu 61% desde então.

Os fluxos mais notáveis nos últimos 2-3 anos mostram as áreas de

  • serviços científicos e técnicos (19,5%);
  • administração pública (17,1%);
  • finanças, seguros e bens imóveis ( 14,4%).

As indústrias de informação, cultura e lazer e serviços educacionais mostram bons resultados, cada uma com cerca de 10%.

Ao mesmo tempo, os dados mostram que 10-14% dos trabalhadores desapareceram de diversas áreas:

  • o setor de alimentação e alojamento foi o mais afetado (-14,2%);
  • serviços (-12,4%);
  • agricultura (-10,7%).

Carreiras no Canadá

O Canadá é um país de oportunidades iguais, portanto, os especialistas atribuem essas mudanças principalmente ao avanço da carreira dos residentes. Isto pode acontecer dentro da mesma empresa, mas o funcionário na verdade muda para um campo diferente (por exemplo, um vendedor ou um zelador se torna um gerente).

Além disso, uma razão lógica para a mudança poderia ser o aumento acentuado nas tarifas horárias nos setores de serviços técnicos, cultura e lazer. Os salários e salários na agricultura e na silvicultura aumentaram significativamente, mas estão muito atrasados, assim como os da restauração, fabricação e varejo.

Os surtos de inflação e o inevitável aumento do custo de vida também estão afetando o mercado de trabalho, com cada vez mais trabalhadores deixando seus empregos em busca de lugares onde a remuneração lhes permita lidar com o aumento dos preços. Por esta razão, quase duas vezes mais trabalhadores deixaram seus empregos em julho do que no mesmo período de um ano atrás, superando em muito outras razões relatadas, como estudo ou aposentadoria.

Jovens mudando de emprego

Muitos jovens, confrontados com uma pandemia, decidiram fazer uma mudança dramática em suas vidas. Há histórias conhecidas daqueles que pensaram sobre suas perspectivas durante o fechamento e perceberam que seus empregos passados não eram do seu agrado. Outros aproveitaram o fechamento para treinar para uma nova profissão e uma vez que os escritórios foram abertos, começaram a construir com sucesso uma carreira. Outros, tendo perdido uma parte significativa de sua renda — especialmente no ramo de hotelaria e restauração — procuraram empregos mais lucrativos.

Os economistas estão tentando elaborar esquemas para lidar com a crise.

Brittany Feor, especialista do Labour Market Information Board, está se concentrando nos jovens: ela acha que os estudantes em tempo parcial devem ser encorajados aumentando seus salários.

Outra opção é tentar fazer com que os aposentados voltem ao trabalho. Muitos canadenses se aposentaram cedo devido à pandemia antes que ela terminasse. Talvez, como diz Feor, eles gostariam de retomar o trabalho, mas estão hesitantes em fazê-lo.

De fato, alguns especialistas acreditam que a questão da proporção entre a população idosa e a jovem é a chave do problema.

Pessoas mais velhas no trabalho

O boom do bebê do pós-guerra deu ao Canadá mais de 400.000 bebês, aumentando sua população em 20 por cento de uma vez. E agora, ao deixarem seus empregos — fora do plano devido ao fechamento, entre outras coisas — não há trabalhadores jovens suficientes para substituí-los.

Isto levou ao maior número possível de vagas para cada pessoa desempregada a encontrar o lugar mais rentável para ele ou ela. Os economistas comentam sobre as conseqüências:

"As pessoas estão encontrando outros empregos. E agora simplesmente não há pessoas suficientes que estejam dispostas a fazer trabalhos mal remunerados e marginalmente lucrativos na melhor das hipóteses".

Ian Lee, professor associado da Sprott School of Business da Universidade de Carleton, concorda com as conclusões:

"Os trabalhadores agora têm muito mais escolha. Se você tem mais escolha e não precisa trabalhar nessa indústria em particular, você irá onde há perspectivas de progresso, onde a remuneração é mais alta e o dia de trabalho é mais previsível".

Ele prevê aumentos salariais em áreas impopulares como algo com o qual os empregadores podem atrair os empregados. Os especialistas acreditam que o problema piorará: a crise de saúde mostrou claramente quais podem ser as conseqüências de negligenciar setores importantes. Por exemplo, os problemas na educação vêm ocorrendo há muito tempo e podem levar a greves de outono após o anúncio late announcement de um magro aumento de salário:

"Estamos perdendo pessoas treinadas na educação pré-escolar porque não lhes pagaremos mais do que pagamos aos noivos". Por que eles devem ficar quando podem encontrar melhores empregos em algum outro setor"?

Discussão

Tanto os trabalhadores quanto os economistas são relativamente unânimes sobre quais ações poderiam estabilizar a situação, agora a palavra é deixada para o governo. BMO Economics, falando em seu relatório sobre possíveis medidas do Banco do Canadá, prevê que não são esperadas mudanças dramáticas no futuro próximo, especialmente em áreas onde imigrantes e jovens trabalhadores não podem preencher vagas devido a desajustes de habilidades, e conclui:

Fonte, Fonte, Fonte, Fonte, Fonte
  • #Mercado de trabalho canadense
  • #empregos no Canadá
  • #visto de trabalho para o Canadá
  • #trabalho no Canadá
  • #profissões no Canadá
  • #vida no Canadá
  • #escassez de mão-de-obra no Canadá
  • #crise do mercado de trabalho no Canadá