Encontre um emprego no Canadá em uma hora

Encontre um emprego no Canadá em uma hora

O programa de imigração atlântica funciona!

Preparei para vocês uma entrevista motivadora com um homem que pôde voar para fora da Bielorrússia durante os protestos, voar para o Canadá durante as fronteiras fechadas, encontrar um emprego e começar a se adaptar com sucesso em um novo país com toda sua família.

Olga está no Canadá há um mês, durante uma quinzena desse tempo a família foi colocada em quarentena. Entretanto, Olga e eu nos conhecemos há muito tempo — há um ano e meio atrás ela era estudante em nosso curso sobre como encontrar trabalho no Canadá.

Imigração passo a passo

Olga se mudou com a ajuda do Programa de Imigração Atlântica. Primeiro ela fez um curso de busca de emprego e entendeu como proceder. Ela estudou inglês, enviou seus documentos para confirmação de diploma e fez o teste de idioma IELTS no nível 6. Olga também consultou um consultor de imigração e foi aconselhada a considerar a imigração através do programa Atlântico. Então ela decidiu procurar um emprego em Halifax, a capital provincial de Nova Escócia.

"Você nos preparou para grandes dificuldades em encontrar um empregador, mas eu encontrei um empregador em uma hora", compartilha Olga.

Quando a família recebeu uma indicação da província, eles solicitaram um visto de trabalho, que obtiveram com sucesso, e depois uma autorização de residência permanente. Com o visto de trabalho, eles voaram para o Canadá sem nenhum problema, apesar das restrições covardes em vigor.

Emprego no Canadá

Em seu país de origem, Olga trabalhou como enfermeira, depois se tornou técnica de raios X. Mas como as profissões médicas no Canadá exigem uma licença, ela só poderia procurar trabalho como cuidadora.

"Todos disseram para não perseguir o salário, mas para perseguir pelo menos conseguir um emprego", brinca Olga, "mas eu escolhi o maior salário".

Tendo encontrado uma vaga adequada, Olga elaborou um CV e o enviou a um funcionário de RH canadense para revisão. Após aprovação, ela enviou sua candidatura para o cargo. Apenas uma hora depois, ela recebeu uma ligação do possível empregador convidando-a para uma entrevista e depois lhe fazendo uma oferta de emprego.

Dificuldades na imigração e adaptação

Olga admite que a viagem de imigração lhe custou muito esforço, tanto físico quanto emocional. Durante um ano, ela passou 3-4 horas nos dias de semana e 8 horas nos fins de semana estudando inglês a fim de passar no teste de idioma. Por isso, ela teve que colocar seus hobbies e interesses em segundo plano. Às vezes parecia que ela estava perdendo seu tempo, que tinha tudo em casa, enquanto no Canadá, com mais de 40 anos, ela tinha que começar sua vida do zero. O esforço não foi em vão e toda a família, incluindo o cachorro, imigrou para o Canadá.

"Sou grata a mim mesma que afinal decidi fazer isso e que não desisti", diz a moça.

Além das preocupações, houve também problemas técnicos. Após solicitar uma autorização de trabalho, a família teve 90 dias para solicitar a residência permanente no âmbito do programa Atlântico. Mas demorou muito tempo para processar o pedido, e a autorização foi recebida pouco antes do vencimento do prazo para a autorização de residência permanente. Até lá, Olga já deveria estar no Canadá e trabalhando.

O vôo com um cão levou 28 horas devido ao fato de que nem todos os vôos levam animais de estimação. Também era difícil encontrar alojamento com um cão, pois aluguéis de curto prazo com animais de estimação custam o dobro do que sem eles. Assim, a família buscou alojamento a longo prazo de uma só vez.

Olga compartilhou que eles tinham recebido muita ajuda de outros imigrantes, bem como de seu empregador, que chegou a trazer-lhes mantimentos durante o período de quarentena e compartilhou os contatos de um corretor de imóveis local. O aluguel de uma casa de três quartos custa $1.500 CAD por mês, sendo o primeiro mês e o depósito pago pelo empregador.

Os alojamentos no Canadá são geralmente alugados sem móveis. Outro problema era que os cartões bancários bielorrussos não funcionam no país. O empregador de Olga trouxe colchões de ar e travesseiros pela primeira vez, depois a família encomendou colchões regulares da Amazônia e os usa no lugar de camas por enquanto.

As dificuldades temporárias não assustaram Olga porque ela tinha experiência de vida no Reino Unido. Então ela entrou em contato com uma agência que ajudou a organizar tudo até o último detalhe, mas Olga pôde vir para o país sozinha, sua família teve que ficar em Belarus. Agora, pelo contrário, toda a família imigrou, mas há muitas dificuldades domésticas que não são tão terríveis.

Viver e trabalhar no Canadá

Olga tem impressões muito positivas sobre o povo do Canadá. Segundo ela, muitos tentam ajudar, os transeuntes sorriem e dizem olá, no trabalho eles explicam e mostram tudo muitas vezes. O clima em Halifax é ameno, um pouco mais quente do que em seu país de origem Belarus. Dos desagradáveis, Olga mencionou fortes flutuações de temperatura.

Olga trabalha em uma casa de repouso para idosos. Cerca da metade dos funcionários lá são imigrantes. De volta ao seu país de origem, ela encontrou um trabalho em meio período como cuidadora, pois sabia que iria se mudar para o Canadá. Mas lá ela trabalhava para as famílias.

"Fisicamente, eu diria que é mais fácil aqui", pensa a garota.

Olga observa que em um lar canadense existem muitos dispositivos que facilitam o trabalho, como os elevadores. É dada muita atenção à segurança do pessoal — para garantir que as pessoas não estejam sobrecarregadas de trabalho e tenham descanso suficiente. A semana de trabalho é de 40 horas.

No primeiro dia, Olga foi designada para uma cuidadora experiente que lhe mostrou e contou tudo. A moça admite que um dia de treinamento não é suficiente, mas como as pessoas estão sempre dispostas a ajudar, não há problemas.

Olga não trabalha para uma casa de repouso, mas para seu empregador, que é um agente. Há cinco alas na cidade e a garota pode trabalhar em qualquer uma delas. Quando ela chega a uma ala onde não trabalhou ou trabalhou pouco, geralmente recebe residentes mais leves.

Alex Pavlenko, fundador do Immigrant.Today

  • #emprego no canadá
  • #imigração no canadá
  • #canada
  • #vida no canadá
  • #emigração para o canadá
  • #como imigrar para o canadá
  • #visto para o canadá
  • #encontrar um emprego no canadá
  • #como encontrar um emprego
  • #carreira sem fronteiras
  • #trabalho no exterior
  • #realocação para o canadá
  • #piloto atlântico
  • #piloto atlântico do canadá
  • #programa piloto de imigração para o canadá
  • #visto de trabalho para o canadá