Os horrores do trabalho no Canadá: Como os imigrantes são enganados e o que você pode fazer?

Os horrores do trabalho no Canadá: Como os imigrantes são enganados e o que você pode fazer?

As garotas da Ucrânia conseguiram um emprego no Canadá, mas enfrentaram uma violação de direitos por parte de seu empregador. Eles concordaram em nos dizer como saíram desta situação.

Conseguir um emprego no Canadá pode ser uma longa e árdua jornada. E o pior é que você acaba com um empregador inescrupuloso. Esta foi a situação enfrentada por Liusya e Alya, meninas da Ucrânia, que foram para a província de Ontário para trabalhar em uma fazenda. Eles há muito sonhavam com o Canadá, mas quando chegaram, receberam acomodações em más condições, humilhação dos gerentes, ameaças de demissão e horas extras constantes.

História da mulher imigrante

Tanto Lucy como Ali têm experiência de viver em diferentes países europeus e de trabalhar na indústria agroalimentar.

"País livre, bom pagamento, segurança", era como as meninas imaginavam o Canadá.

Eles escolheram este país, entre outras coisas, porque é muito mais fácil obter residência permanente lá do que em outros países. As meninas haviam planejado inicialmente aplicar através do sistema Express Entry, mas decidiram seguir um amigo que tinha um contrato de trabalho com uma fazenda de pimenta.

Emprego e condições de trabalho

Ljusia e Alya conseguem um emprego através de uma agência de recrutamento em seu país de origem, a Ucrânia. Para os trabalhadores rurais, eles oferecem um horário de 45 horas por semana com um salário horário mínimo na província onde o trabalho está aberto. As meninas aceitaram o trabalho em Ontário, onde o salário mínimo é de US$ 14,35 CAD por hora. Os serviços da agência junto com o visto de trabalho custam US$ 3.000-4.000 USD.

Não eram necessários testes de idioma para o trabalho, bastava escrever sobre si mesmo e anexar uma foto 3x4 cm. Levou cerca de um mês e meio para completar toda a papelada.

A estufa onde as meninas estavam acomodadas ficava a 40 minutos de carro da cidade mais próxima, e a loja só era acessível de carro. A agência prometeu às meninas alojamento em uma casa nova, mas elas acabaram em uma casa suja, sem reparos.

"Estávamos limpando tudo depois de um vôo de 11 horas, era impossível até mesmo ir para a cama lá", diz Alya sobre seu check-in.

Eles pagaram por serviços públicos (cerca de $125 CAD por mês) e compraram seus próprios alimentos. Seu empregador os levou para a loja uma vez por quinzena.

Problemas no trabalho

Acontece que o alojamento não era a pior coisa que esperava Alya e Lucy no Canadá. Após uma semana de trabalho, enquanto as meninas ainda estavam treinando, as acusações começaram a surgir por todos os tipos de razões. Eles eram acusados de estragar produtos e baixas vendas, eram ameaçados de demissão, e seus gerentes levantavam regularmente suas vozes. Isto não afetou apenas Lúcia e Alya, mas todos os trabalhadores de seu país.

Mas depois ficou pior — eles começaram a trabalhar sem dias de folga. Os funcionários trabalhavam 65-70 horas por semana em vez das 45 horas permitidas. As horas extras foram pagas à taxa normal, sem pagamento extra. Isto durou um mês e meio, depois do qual as meninas pensaram em voltar para casa.

Eles não podiam conseguir outro emprego porque tinham obtido um visto do tipo fechado, o que só lhes permitia trabalhar para um empregador.

A solução

Lyusia e Alya decidiram procurar maneiras de resolver o problema. Eles encontraram um programa para proteger trabalhadores vulneráveis em um site do governo canadense, que detalha o que fazer se você se deparar com um empregador inescrupuloso.

"Decidimos tentar reclamar, pensamos que talvez algo desse certo. Não acreditávamos realmente nisso, mas decidimos tentar", disseram as meninas.

Eles precisavam enviar provas ao governo de uma violação dos direitos dos funcionários. Estas eram fotos da casa e do horário de trabalho, assim como uma descrição detalhada do que estava acontecendo.

Apenas três dias depois, Alya e Ljusia receberam uma resposta de que sua reclamação tinha sido tratada. Mais uma semana depois, receberam novas licenças de trabalho pelo correio, permitindo-lhes trabalhar para qualquer empresa no Canadá.

O outro lado do Canadá

As meninas se mudaram para Vancouver, a província de British Columbia. Eles decidiram visar dois programas de imigração ao mesmo tempo para que eles pudessem esperar viver permanentemente no futuro: Lucia aceitou um emprego como assistente de cook's assistant e se candidatará sob o programa low to medium skilled, para o qual os trabalhadores da indústria de hospitalidade são adequados, e Alya tornou-se uma nanny com uma família de língua russa e planeja candidatar-se sob o programa nanny.

Lucia agora trabalha 8 horas 5 dias por semana por $17 CAD por hora mais um CAD extra de $2 CAD por hora, para um total de $19 CAD por hora. Além disso, há almoços gratuitos (qualquer prato do menu).

"Na verdade, é um trabalho muito fácil. Eu faço conservas, corto queijos, corto vegetais e às vezes ajudo a fazer saladas", compartilhou Lucia.

Alya, por outro lado, acabou ficando com uma boa família que lhe paga $18 CAD por hora com o mesmo cronograma.

O custo de vida no Canadá

Vancouver é uma das cidades mais caras do Canadá, e as meninas trabalham por um salário muito modesto, pelos padrões canadenses. Mas, de acordo com eles, eles têm o suficiente para tudo.

Eles alugam parte de uma casa separada — é uma sala, um quarto e uma cozinha, e as meninas dividem o banheiro com outra família. O aluguel custa $1200 CAD por mês, as utilidades estão incluídas, a internet é compartilhada com os vizinhos e custa $25 CAD. CAD 500-600 dólares para duas pessoas é gasto em alimentos e cerca de CAD 200 dólares em viagens.

Lucy e Alya disseram que cada uma delas tem US$ 1300-1500 CAD por mês para gastar em entretenimento, viagens e presentes para seus pais depois de todas as suas despesas.

Alex Pavlenko, fundador do Immigrant.Today

  • #trabalho no Canadá
  • #emprego no Canadá
  • #trabalho sazonal no Canadá
  • #trabalho temporário no Canadá
  • #trabalho agrícola no Canadá
  • #imigração para o Canadá através do emprego
  • #imigração para o Canadá através do trabalho
  • #trabalho em estufa no Canadá
  • #trabalho no Canadá para estrangeiros
  • #trabalho no Canadá para imigrantes
  • #imigração para o Canadá
  • #emigração para o Canadá