O ministro da economia do Québec se opõe a mais migrantes

O ministro da economia do Québec se opõe a mais migrantes

Ele acredita que os jovens locais devem ser ajudados a preencher as vagas.

No ano passado, 50.280 pessoas receberam o status de residência permanente das autoridades de Quebec. 80,3% dessas pessoas se estabeleceram em Montreal e outros 13,7% em quatro grandes cidades da província.

As cidades de Gatineau, Cidade de Quebec, Sherbrooke, Trois-Rivières aceitaram novos residentes permanentes, mas as comunidades menores ainda estão com falta de mão-de-obra. O Ministério de Imigração, Francização e Integração quer que novos residentes na província se estabeleçam em áreas remotas e publicou um plano de ação em 9 de maio sobre como conseguir isso.

As associações empresariais do Quebec querem que os partidos concordem em aumentar a cota anual de migração para 80.000 pessoas nas eleições provinciais a serem realizadas em outubro. Mas o Ministro da Economia do Quebec Pierre Fitzgibbon, na sexta-feira, se opôs à iniciativa em um evento organizado pela Câmara de Comércio de Montreal.

Há cerca de 200.000 jovens que não trabalham nem estudam em Quebec. Outras 180.000 pessoas mais velhas também estão desempregadas. Os aposentados empregáveis também podem preencher vagas — de acordo com o ministro, pelo menos 80.000 retornariam ao trabalho se fossem oferecidas condições decentes.

O governo de Quebec alocou grandes somas para a reciclagem dos profissionais de que a província necessita, e o ministro acredita que dentro de seis meses o problema da escassez de pessoal será resolvido. É por isso que ele só está disposto a aprovar o aumento de cotas para residentes temporários, mas não para residentes permanentes.

Fonte, Fonte
  • #Quebec
  • #economia do Quebec
  • #plano de imigração do Quebec
  • #cotas de imigração do Quebec
  • #imigração para o Quebec
  • #visto de trabalho para o Quebec
  • #trabalho no Quebec
  • #Arrima